Você Tem Medo De Que, Ou De Quem? (uma crítica direta, e indireta, do sistema de educação de trânsito do Brasil)

8 comentários

Alunos amados e queridos leitores. Eu piloto minha moto todos os dias e trafego pela Rodovia Anchieta, Av Bandeirantes, Marginal Pinheiros e volto pelo mesmo caminho, em dois horários: 7 da madruga e 18 horas. Só por Deus enfrentar os perigos desse transito. Às vezes, quando eu chego em casa, penso que passei um pesadelo enfrentando os “corredores” e desviando dos carros, pedestres e motociclistas que, por querer ou não, entram a sua frente sem dar sinalização ou qualquer outro aviso sequer.
Uma aluna minha, do curso de pilotagem, disse-me uma situação que ela enfrentou, quando se matriculou em uma moto escola:”…eu queria aprender a andar de moto e perguntei a secretária da auto escola se estudaria sinalizações e legislação específica para motos. A resposta da secretária: moça, só você quer estudar! A maioria dos alunos não quer saber de nada, só tirar a carta e ir embora daqui…”
Amigos, não estarei analisando sobre imprudência ou irresponsabilidade humana, mas a formação do  motociclista nas escolas de transito.

Um dia destes, fui observar uma aula e um exame para se tirar carta para pilotar moto. O lugar era fechado, como um estacionamento dentro de uma escola estadual. Era necessário subir na calçada para entrar pelo portão. Havia muitos alunos nas calçadas, em frente ao portão de entrada. Os instrutores das auto escolas viam com suas CGzinhas, com o aluno na garupa, não davam o pisca e, se os alunos não saíssem da frente, acho que estes instrutores passariam por cima deles. Assim eu penso: qual vai ser a formação desses futuros pilotos, vendo este tipo de exemplo?
Nas aulas sobre a moto, não se ensina a olhar os espelhos, a manusearem os piscas e o pior,  não se ensina a frenar uma moto ( onde o mais importante é parar a moto e não acelerar somente). Nos exames ( prova) não se verifica se o aluno sinaliza, olha nos espelhos. A preocupação é não colocar o pé direito no chão na hora de parar a moto. Fico imaginando se a moto se desequilibra para a direita, então deixe-a cair, pois não pode pisar com o pé direito no chão?! O motociclista tira a Carta de Habilitação sem noção nenhuma do que realmente é uma motocicleta! Soma-se a “preocupação” dos vendedores de moto se seu cliente sabe ou não pilotar, ou mesmo se conhecem os componentes de segurança da moto que está vendendo, para explicar como seu cliente pode utilizar com segurança.
Amigos leitores!  Consumidores de scooter ( que são consideradas motos fáceis de pilotar) saem da concessionária sem saberem onde é o freio de trás ou da frente! Isso tudo é culpa do piloto? NÃO!!! É culpa de pessoas não preocupadas com o bem estar de gente que ama a vida e a liberdade, a amizade e a união que a moto trás, além dos benefícos inúmeros para o transito brasileiro. 
Eu vejo jovens morrendo por não terem se formado com o mínimo de conhecimento dos perigos de se transitar de moto neste transito maluco. Vejo adultos que compraram sua moto caríssima e não pilotam , porque sua primeira experiência foi frustrante. Vejo pessoas que não se interessam na vida, mas no lucro que cada aluno de auto escola pode dar. Meus leitores, há anos fui almoçar a convite de uma “autoridade”, empresário do ramo da educação de transito. Enquanto íamos para o restaurante, no carro dele, cada moto boy que passava ao lado do carro ele fazia um sinal e falava:”…olha aí, mais cinquentinha no meu bolso…” Este empresário estava falando da obrigatoriedade dos cursos para o moto frete.” Realmente, a preocupação dele era enorme a segurança do  motociclista. “

A pergunta acima: Você tem medo do que ou de quem? Responda para você mesmo. Mas lembrem-se que do seu lado, no transito, não há ninguém que aprendeu a pilotar de forma completa. Portanto, tenha medo (respeito) daqueles que, com certeza, estão aprendendo a pilotar na marra!
Tenho muito orgulho de ensinar aprendendo para alunos que passam por mim, pois são pessoas humildes, desde o jovem até o  mais experiente. Humildes porque reconhecem suas necessidades, e querem viver. Viver felizes.
Dou meu conselho aos instrutores e empresários do ramo motociclístico, sejam eles de auto escola ou não: AMEM A MOTO, AMEM O QUE VOCÊS FAZEM, POIS É UM TRABALHO SOCIAL, MAIS DO QUE UM TRABALHO QUE GERA LUCRO, É UMA AJUDA SOCIAL, BENÉFICA E ORGULHOSA!

PILOTAGEM DEFENSIVA SIGNIFICA: PILOTAR EVITANDO O ACIDENTE MESMO CONTANDO COM O ERRO DOS OUTROS. Analisem estes erros ( talves sejam os erros que nós mesmos fazemos). Assim, tenha medo de que ou de quem, pois este tipo de medo o protejerá.

Abraços a todos 

  1. Salve professor,

    Parabéns pelo texto,é realmente uma triste verdade que vivemos nas ruas.

    Me lembro de como foi meu processo para obter a permissão para dirigir,e comparando com o que sei hoje,vejo que não aprendi nada lá.

    Sobre o nível dos instrutores,para as moto escolas ganharem mais dinheiro,contratam qualquer motoboy safado para dar aula,(não deve ter legislação que exija algo para ser instrutor hoje,outro erro!)afinal é mais barato um zé mané do que pagar alguém que tem formação na área,como você mesmo Amaral.

    Lembro me que em um aula eu tive dificuldades em dar partida na cg 125 ks do motoboy disfarçado de instrutor,e ele ficou ferrado comigo,dizendo que eu ia quebrar a moto(detalhe,até esse dia eu nem imaginava o que era “puxar o afogador” e não foi durante o processo que eu aprendi),eu respondi que se quebrasse pagaria essa merda,afinal,se eu não estava conseguindo,ele devia me explicar,o que não fez…em vários outros erros meus…

    Outro detalhe,nessa aula que você assistiu,todos os alunos estavam com a viseira fechada?Eu por exemplo fiz a prova com a viseira aberta,disseram que no dia podia,será?!?!?!?
    Sobre a viseira aberta,veja aqueles videos da Dafra,da recente campanha mostrando o processo de conseguir a permissão para dirigir motocicleta,nas aulas práticas,quase todos os alunos que passam no fundo do vídeo,estão com a viseira aberta…

    “Viseira aberta,seja piloto ou garupa é multa gravissima.”

    Enfim,assino embaixo do seu texto,100% correto!

    Grande abraço e parabéns pelo seu trabalho!

  2. Parabéns brother! quisera todos os envolvidos no segmento, tivessem essa conscientização da necessidade de se formar um motociclista com técnicas de pilotagem, segurança e conduta no trânsito, antes do grande interesse maior que é o de vender um moto.

    Presumo que inda teremos que ver muitas mortes e paralíticos, antes que essa preocupação pela educação venha a ser efetiva pelos órgãos que deveriam dar o exemplo.

    Grande abraço……Dinaldo

  3. Olá Amaral, ótimo post!

    Aqui é Erik e sua Intruder

    Mais uma vez quero parabenizá-lo por esta iniciativa, tanto das aulas quanto do Blog (está no meu Favoritos!). Realmente este trânsito de São Paulo é uma fonte geradora de medos constante, ainda mais para quem segue em uma 125! O que mais tenho medo é de caras que aparecem acelerando o carro do nada e te tira uma fina absurda, interrompendo seu status de atenção e de monitoramento dos possíveis perigos! Isso obriga o motociclista a sempre correr mais para ficar na frente o tempo todo, para que este tipo de coisa não ocorra….e aí que vem os riscos de uma frenagem precipitada, uma perda de controle e queda.

    Espero dias melhores para todos…motoristas e motociclistas…

    Abraços

    Fiquem com Deus e sempre andem equipados!

  4. Dalton Beraldo diz:

    Grande Mestre Amaral! Salve.

    Excelente seu post. Infelizmente, aqui no nosso país, a falta de instrução, respeito e cidadânia é muito grande.

    A falta de instrução dos novos pilotos por vc comentada é o ponto de partida que se une com a falta de gentileza e educação de todos nós brasileiros.

    Para ser sincero, o que mais me irrita no transito hoje é a falta de educação do motorista do seu lado que não dá passagem e ainda por cima te da uma fechada querendo colocar o veiculo dele na sua frente. Num transito maluco destes, ficar um carro a frente dos outros, mas parado no trânsito não adianta nada.

    Carros e motos então, todo mundo sabe que o motorista do automóvel quer mais é ver o motociclista no chão e pouco se lixam que ali na maioria das vezes é um cidadão, trabalhador, pai de família que esta ao guidão tentando buscar o sustento da sua família.

    Lógico que há motociclistas mal educados por aí, fazendo barbaridades, mas essa rivalidade vai muito além destas pessoas.

    Alias, falando em rivalidade, creio que a lei coopera com isso. Primeiro porque põe o motociclista à margem das leis de trânsito, fazendo corredores de onibus, cuidando da circulação de caminhões, campanhas para respeito de pedestres e diversas ações para o automóvel, seu maior foco.

    A lei nunca obrigou a ensinar a convivência pacífica entre carros, motos e veículos pesados. Acho que uma das coisas mais importantes num curso de autoescolas, seria mostrar aos condutores, como os outros veículos os enxergam, pontos cegos e dificuldades em curvas e frenagem. Canso de ver motociclistas andando no ponto cego dos carros e ainda pior, no ponto cego de caminhões.

    Posso apostar que pelo menos 80% dos motoristas de carro não tem a minima noção que o momento mais crítico é a frenagem da moto e que a curva é um momento extremamente técnico na condução.

    O governo também não incentiva em nada as motos. Não parece que temos um dos maiores mercados de motos do mundo. Na europa temos faixas maiores que cabem uma moto e um carro, faixa de retenção exclusiva para motos nos semáforos além dos enormes bolsões de estacionamento.

    Enfim, muitas ações precisam ser feitas para que possamos sair as ruas com segurança. Até lá, vamos nós pilotando por nós e pelos outros também. O que não podemos é deixar de cobrar dos nossos políticos que todos estes problemas sejam resolvidos.

    Abcs

  5. Concordo com o post, minha experiência na autoescola não me ensinou mais do que o básico para fazer a moto sair do lugar, tanto que no dia em que tirei minha moto da concessionaria e me deparei com a Ricardo Jafet (Imigrantes) na minha frente, fiquei tenso na hora. E realmente tem motorista de carro parece sentir prazer quando o indivíduo na moto se da mal.

    O teste da auto escola consiste em andar dentro de um pátio apenas e somente em 1ª marcha, pois se colocar 2ª reprova, ter a habilidade de colocar somente o pé esquerdo no chão, senão reprova, e fazer curvas sem passar o pneu na faixa.

    Nas ruas vejo vários tipos de coisa. Já dirigi uma vez involuntariamente “na brisa” do motoqueiro da frente, pois o mesmo estava fumando maconha enquanto dirigia – um de muitos casos iguais. Ha outros que fumam cigarros enquanto dirigem, ate porque usam capacetes tão ruins que não se pode enxergar nada com a viseira fechada, pois a mesma risca ate com o vento.

    Retrovisores? Para que? Há vários indivíduos que colocam micro espelhos retrateis que ficam dobrados para baixo, estão lá por força da lei, pois não são utilizados nem pra retocar maquiagem.

    Dar a passagem pra alguém? Jamais! Os carros que não ousem trocar de faixa enquanto “os motoquero” não passar, não importa se estão dando seta há um tempão tentando sair de uma fila que não anda. Quando esperamos o carro da frente mudar de pista, os motoristas dos carros costumam hesitar, pois é algo quase anormal.

    Trocar de pista? Deu brecha já era. Na 23 de Maio por exemplo podemos assistir trocas de faixa no melhor estilo kamikaze, passando em espaços poucos centímetros maiores que a moto, sem qualquer margem de erro. Andar no corredor é uma experiência intensa, sendo necessário eventualmente ficar parado atrás dos carros pra deixar a motoboiada passar.

    Enfim, há mais interesse em receber propina pra passar aluno do que educar pessoas para tornar o transito mais seguro.

  6. Amaral querido!!!

    Parabéns pelo post! Excelente.
    Te digo que na última sexta-feira fui para Faria Lima com a Miragina. Olha… sinceramente fiquei muito, mas muito irritada ao chegar na empresa e também ao voltar para casa. Já não bastasse minha tensão por ser a primeira vez que eu piloto para Pinheiros, ainda tinha que me preocupar se os outros não me causariam um acidente. Juro que não gostei da experiência e apesar de ser uma motociclista iniciante, acredito que me saí muito bem, principalmente porque me recordei de tudo o que você ensinou no curso. Lógico que não podemos culpar as pessoas quando o sistema não se interessa em ensinar com responsabilidade. Lembro quando peguei minha moto pela primeira vez na rua e não sabia nada além de me equilibrar e fazer curva em baixa velocidade.
    Agradecemos por você se interessar por nosso aprendizado!!!!
    Abs
    Joelma

  7. Grande mestre Amaral!!

    Pura realidade, infelizmente. Essa mesma realidade das auto-escolas se aplica a outros campos, como as faculdades particulares, cujo interesse é basicamente o financeiro. Posso aqui informar outros tantos, mas acredito que o cerne de tudo seja nossa desunião, nossa esperteza. Nao adianta culparmos nossos governantes, pois, para eles, qto mais desunidos e desinformados formos, melhor! O pior é que eles estão conseguindo… Forte abraço. Seu aluno, Yamada.

  8. Parabéns com todas as letras, pois eu também já fui vítima e recebi os seus sábios ensinamentos após uma queda na minha MT03, QUE ME CUSTOU 1.200,00 e mais o trauma, os arronhões etc. e não morri, porque no trãnsito não vinha nenhum carro atrás….
    Este seu artigo tem que ser lido e mostrado para as autoridades em todos os níveis, pois é UMA BRINCADEIRA a fórmula de se tirar CARTEIRA DE HABILITAÇÃO no Brasil. Tem que ocorrer mudanças radicais, acabar com a grande CORRUPÇÃO que é acintosa de todos os lados, etc. NA PRATICA NÓS COMPRAMOS A CARTA e depois vamos ver o que pode ser feito ou catar os cacos, se sobrar….
    Temos que nos movimentar de alguma forma, e as vítimas ajuizarem ações de responsabilidade civil, contra o Fabricante, o Vendedor e Estado que habilita o futuro motociclista ou motorista.
    Valeu demais seu artigo, pois dá MEDO transitar no nosso caótico, irresponsável e até criminoso trânsito, pois por falta de conhecimento teórico e prático, de leis sérias e vontade política, a todo instante os acidentes pipocam em nosso desfavor. Um forte abraço e muita luz para continuar a ser um farol em nossos caminhos. Paschoal. SJRPRETO, 10/09/11.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *