Pista molhada? Quais as técnicas? Quais os Cuidados?

0 comentário
Pista molhada? Quais as técnicas? Quais os Cuidados?

Um dos maiores receios do condutor de moto é quando está pilotando debaixo de chuva, ou seja, em pista molhada. Sim, é normal sentir medo e este sentimento é essencial para a proteção do piloto. Porém, calma! Deve-se sentir medo, mas como uma forma de respeito a esta condição adversa de tempo. Porém, não há necessidade de se “travar” e deixar de pilotar por causa disso.

A sujeira debaixo da lâmina de água, esta sim, é perigosa. Pior são as faixas pintadas no solo.

Vamos, então, entender alguns conceitos sobre pista molhada, quantidade de chuva que cai e desenho dos pneus para enfrentar este clima e, principalmente as técnicas de pilotagem na chuva.

Evitem frenagens bruscas para não travar as rodas. Vantagem para os freios ABS

Pista Molhada: esta questão se relaciona diretamente com a quantidade de chuva que cai e do escoamento da água nas pistas de rodagem. O maior perigo não está na água sobre as vias e sim no que se esconde debaixo dela, como óleo, detritos soltos, acúmulo de poeira e sujeira diversas. A água os sulcos (desenhos) dos pneus jogam para fora, mas a sujeira dificilmente. Também, a borracha do pneu pode absorver a umidade e aquecer mais rápido, dependendo do composto
misturado na borracha, como a sílica.  Assim, atente-se na quantidade de chuva que lava a pista. Sim, eu disse LAVAR A PISTA. O pior momento da chuva é o seu começo, aquela chuvinha mixuruca, “molha bobo” que só deixa o asfalto molhado sem o poder de lavar o solo. É nesta situação que aparece o chamado efeito psicológico, “só porque a chuva é pouca e o pneu está novo, então não há a necessidade de diminuir a velocidade”. É neste momento que devemos tomar mais cuidado! Entretanto, quando a quantidade de chuva for maior e mais forte geralmente a pista é lavada e seus detritos e sujeiras são jogados para fora da pista, para os cantos das mesmas. Portanto, embora pareça contradição, é mais seguro pilotar com chuva forte –pista lavada- do que com pouca chuva – pista suja- pois o que causa a facilidade da moto deslizar são os detritos que se desgrudam do solo, mas ficam ali, sem serem levados para os cantos das ruas e estradas, esperando por um pneu passar por eles.

Desenho dos pneus: há muitos modelos de pneus no mercado calçando motos esportivas, custons, trails e assim vai.

Pneus slick só servem para pista seca e em competições on road

Para cada moto há o um pneu apropriado. Pneus sem sulcos (slick) são muito bons para pista seca, pois “gruda” no chão dando maior segurança e performance em competições esportivas em asfalto. Mas pilotos comuns, que pilotam sem competir, precisam de pneus mistos, tão bons para pista seca e também molhada. Assim, o desenvolvimento de pneus mistura desenho (sulcos) com o tipo de borracha e o tipo de moto.

Lateral do pneu mais lisa, cuidado nas inclinações mais acentuadas em solos encharcados

Para motos trails os pneus possuem sulcos profundos e largos com a intenção de tirar a água da frente e, principalmente “travar” com seus cravos a moto em pilotagem na terra e lama. Não é um pneu para velocidade, mas para performance em estradas de asfalto e terra. São pneus chamados on-off road, sempre com maior porcentagem ao uso on.

Pneus com boa performance ao uso misto:terra e asfalto. Bons em asfalto encharcados.

Para as custons os pneus possuem borracha geralmente mais duras com a intenção de durabilidade, com sulcos desenhados para somente tirar a água, sem a intenção de velocidade ou pilotagem em terra. Deve-se entender que estes pneus são mais “quadrados” e assim poderá facilitar a aquaplanagem*. Atualmente, algumas marcas de pneus para este estilo de moto, melhoraram muito seus compostos.

Custons:Pneus que visam durabilidade

Para as motos mais esportivas (streets, nakeds, sport turing e sport adventure de média a alta cilindrada) os pneus são mais “bicudos” e abaulados com sulcos apropriados para tirar a água e, ao mesmo tempo aumentar a velocidade em retas e performance em curvas. Porém, não podemos nos esquecer que alguns modelos desses pneus em sua borda (ombro do pneu ou borda de ataque), visando mais segurança em curvas mais velozes, são do tipo slick, portanto, cuidado com as inclinações mais acentuadas, pois este tipo de borracha mais lisa nas laterais não gosta nadinha de água. Algumas Scooters, de pequena cilindrada, calçam pneus (originais de fábrica) com borracha dura, sem tanto poder de absorção da umidade, embora os sulcos sejam suficientes para a retirada do excesso de água. Hoje em dia, as fábricas notaram alguma deficiência nos pneus para scooter e desenvolveram excelentes compostos para um uso seguro e confortável.

Para as motos superesportivas a tecnologia da borracha é excepcional – aquecimento rápido e absorção da umidade bastante adequada – mas a intenção das fábricas para este tipo de moto é desenhar o mínimo de sulcos, pois a velocidade é o principal objetivo, por isso, por favor, vá com calma na chuva. Aliás, a calma em situações de pista molhada deve estar presente para os proprietários de qualquer tipo de moto. Dessa forma, as técnicas de pilotagem na chuva serão mais bem praticadas.

Desenho bastante adequado para o uso on. Marcas que misturam o composto da borracha para melhor performance em pisos molhados e secos, no uso estradeiro e urbano

Técnicas de pilotagem na chuva:

– conhecer os detalhes acima mencionados é essencial para se adaptar ao solo molhado. Deve-se lembrar que estamos falando de pista molhada em asfalto, com técnicas de pilotagem urbana e estradeira, “ON Road”, muito diferentes com as técnicas esportivas, onde o tipo de asfalto, ou solo,  pneu e ciclística das motos são totalmente diferentes da realidade do motociclista comum. Assim:

– adapte-se com o posicionamento do piloto, onde a moto deve estar menos inclinada do que o corpo do condutor em curvas mais fechadas;

Usar pneus dianteiro e traseiro da mesma marca e modelo. Melhor compartilhamento da retirada do excesso de água

– No “ON Road”, pneus
descalibrados para baixo (com
menos ar) fecham os sulcos dando
maior probabilidade de
aquaplanagem. Portanto, com
maior calibragem, os pneus ficam
mais abaulados e os sulcos mais
abertos, assim, a pilotagem fica
mais segura.
– Calçar sua moto com a mesma
marca e modelo de pneus
dianteiro e traseiro, é tão
importante quanto a adequada
calibragem.

– em curvas mais abertas e velozes, evite inclinações mais acentuadas para não atingir as laterais da borracha mais lisa dos pneus, e neutralizar a força centrífuga com velocidades menores.

– evite manobras bruscas, como desvios rápidos e frenagens brutas. 

Falando em frenagens aí está a maior dificuldade na pilotagem. Já é difícil em pista seca, imagine em pista molhada. Um dos segredos de frenagens mais eficientes e sem riscos está na maneira de forçar o manete ou o pedal (ou manetes, no caso das scooters):

Moto sem ABS não freie brutalmente, para evitar derrapagens perigosas. Abuse do freio motor. Caso a roda traseira trave, a técnica do contra esterço será eficaz para reequilibrar a moto. Mais uma vez, vantagens para os freios ABS que evitam as derrapagens indesejadas

– Frear não é uma questão de força repentina, mas sim de força progressiva. Esta técnica é aconselhada em pista seca, então em pista molhada a progressividade deve ser ainda maior;

– desse modo, percebe-se que a melhor maneira de evitar um acidente por causa de derrapagens em curvas ou em frenagens é seguir em velocidades mais baixas do que usadas em pista seca;

– abuse do freio motor nas desacelerações para que os freios frontal e traseiro sejam usados com mais suavidade, principalmente nas curvas (opa! Frenar em curvas? Se precisar, somente o traseiro sem causar travamento da roda);

– se os freios são ABS, abuse deles, pois o sistema ABS evita derrapagens em frenagens
emergenciais e em solo molhado são os melhores que já testei ( ver vídeo abaixo);

– evite reduções de marchas dentro das curvas e cuidado com faixas e sinalizações pintadas no solo, tente escapar dessas armadilhas assassinas;

– se um carro estiver a sua frente, pilote sobre a faixa rastreada deixadas pelos pneus dos carros, pois este mesmo pneu está “limpando” a pista para você, mas fique distante dele (do carro) em pelo menos 3 a 4 segundos;

– saia da frente de veículos muito próximos por de trás de sua moto, deixando ser ultrapassado por você;

– embora a lei não permita, use faróis altos enquanto luz do dia, para chamar a atenção dos outros.

E não se esqueça da frase: “depois da tempestade sempre vem a bonanza…”  Não, não… sempre vem, ainda, a pista molhada.

  • *Aquaplanagem, ou hidroplanagem: quando o pneu plana sobre a água, passando por uma camada, ou lâmina de água onde a profundidade dos sulcos dos pneus não é suficiente para retirar a água do caminho. Os pneus mais largos e quadrados têm a maior possibilidade de aquaplanar. Por isso a importância de os pneus frontal e traseiro deve ser do mesmo modelo e marca, pois os sulcos traseiro “copia” ou compartilha a água retirada dos sulcos dianteiro.
  • A sílica está no composto da borracha da maioria dos pneus e ajuda na absorção da umidade e no aquecimento dos pneus em pistas mais frias. Pneus quentes melhora no desempenho mesmo em pista molhada.MOTO é VIDA!

Texto reeditado por Carlos Amaral

Fotos de Geórgia Zuliani

Siga nos nas mídias sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *