Pilotar em "Corredores". Que escolha Difìcil!!!

2 comentários
Galera, esta situação passada pelo meu querido aluno ( agora mestre) merece muita atenção. Isto acontece muito em vias públicas. Prestem atenção a este relato do Julio, depois vamos comentar com mais detalhes:

“Meu amigo Amaral,
há tempos tenho pensado em fazer-te uma pergunta sobre pilotagem.
Você me conhece bem e sabe o quão cuidadoso sou em cima da minha moto, alias, no final daquele nosso curso você sempre dizia:- que a moto não foi feita pra cair e deve ser utilizada por pessoas de equilíbrio.
Deixando a filosofia “pratica” de lado, vou direto ao assunto.
No transito, em vias publicas normais” o motociclista deve andar no “corredor” ou pode se manter atrás dos veículos?
Essa pergunta tem um significado, tenho percebido que varias vezes, varias nem tanto, algumas vezes sinto que vou ser engavetado pelo veiculo que vem atrás de mim, pois nem sempre na hora de reduzir forte, consigo sair para o corredor para me proteger.
Hoje, neste sábado 04 de outubro, estava calmamente andando pela rua da Academia, e estava trafegando na faixa da esquerda, como um veiculo normal, e inesperadamente um jovem que estava estacionado do lado esquerdo junto ao meio fio saiu com seu carro sem sinalizar.
Moral da historia;
Peguei o cara na lateral direita, graças a Deus não cai, mas fui levado meio que de carona, ate a faixa da direita. sorte que não vinha ninguém ao nosso lado, pois no horário de almoço e sábado aquela rua é maldita de transito. Acho ate que se tivesse transito, ele teria tomado mais cuidado.
Paramos e ele desceu todo bravo, mas quando eu abri meu capacete e ele viu que eu não era muleque, abaixou a voz, azar dele, ai eu cresci ainda mais…hahahahah!!!!!!! e ele foi pediu desculpa e foi embora sem a estrutura toda do retrovisor direito e com o carro arranhado.

Espero que tenha entendido minha questão, se eu estivesse no meio das duas faixas de transito, provavelmente isso não teria acontecido, ele poderia ate me pegar na traseira ou eu conseguiria desviar dele.

Não precisa colocar toda essa historia no blog, ate porque quase ninguém teria saco para ler inteiro.
Abraços cara, você é especial e não sabe o quanto carinho e respeito tenho por ti.


Julio Cesar”

Meu grande amigo,

Em um curso passado, um aluno chamado Marcelo ( grande Marcelo!!! ) da SATE Treinamentos, disse uma frase que precisamos ter como consideração sempre que saimos de moto. Ele disse: “…o motorista não está preparado para enxergar o motociclista. O motorista se prepara somente para enxergar o outro motorista e não a moto…” O Marcelo tem razão. A semana que vem vou falar sobre a atitude de Previsão e você se lembrará muito dessa frase e de outra frase ” nunca substime a capacidade do outro errar”.

Bem, vamos lá. Andar no corredor ou atrás do carro, na mesma faixa? Que pergunta danada de responder, heim? Quando você falou sobre se sentir que vai ser engavetado com o veículo que vem de trás, pode ter certeza que isso pode acontecer. Sua moto (Falcon) freia muito bem, mais rápido do que o carro de trás. Se não sair da frente dele, vai engavetar em sua moto.

A faixa de rolamento de uma via é larga para uma moto, e pode ser estreita para um carro. A rua de sua academia é mão única, com uma ou duas faixas de rolamento. Minha opinião é pensar sempre na frase do Marcelo e, portando, andar ao centro da faixa ou ao centro da rua, mesmo que esteja atrá de outro veículo maior, pois a visão do motorista estacionado é sempre para o carro. Se estiver ao lado da faixa, esguerda ou direita, pode acontecer o que aconteceu com você. Em situações assim, deve-se pensar muito em pilotar sua magrelinha em velocidade compatível, que permita a saída rápida ou mesmo uma frenagem emergencial segura.

Agora, tem uma outra situação que deve ser relevante. Imagine a Av Bandeirantes, ou mesmo a 23 de Maio, onde existem várias faixas de rolamento. Minha opinião é pilotar no corredor da esguerda, em velocidade compatível ao trânsito daquele momento. Este corredor é formado naturalmente pelos motociclistas. Motoristas já estão mais preparados em ver, enxergar,olhar a moto passando. Portanto, mais seguro é andar nesse corredores. Mas calma aí!!! Observe se sua volocidade está mais ou menos igual ao do carro. Lembre-se que você estará ultrapassando pela direita em relação ao motorista da sua esguerda, onde a visão é mais comprometida. Veja se terá, pelo menos, um área de escape, para “fugir” de possíveis fechadas. Observe as atitudes dos motoristas a sua direita: será que estão vendo pelo retrovisor? O braço do motorista está para fora do carro? Pois se estiver, este motorista não estará prestando atenção e o próprio braço está tampando a visão do espelho. Muito cuidado!!!. Lembre-se que a visâo do espelho da sua moto é precária. Há mais ponto cego no espelho da moto do que do carro. Motociclistas, sem noção, que vem “empurrando” pelo corredor deve-se deixá-los ultrapassar, pois você sabe muito bem como frenar com mais eficiência do que os outros. Se precisar frenar com emergência, o motociclista de trás, passará por cima de você.

Este curso teórico que estamos publicando já falou um pouco sobre Conhecimento e sobre a Atenção. A história vivida na publicação anterior a esta mostra a importância de se ter conhecimento das vias. Sua história mostra a importância se ter a Atenção e a Previsão ( que ainda vamos falar). A segurança sobre a moto está aí, na experiência de vocês.

Julio, muito obrigado por este comentário. Esteja sempre em minha vida assim como está hoje. Espero tê-lo satisfeito. Um grande abraço a você e a todos os leitores.

Até a semana que vem, onde falaremos sobre a Previsão. Como prever e evitar os acidentes sem precisar de cartomante, bolas de cristal e afins.

  1. Isso é complicado cara!
    Veja isso, estava eu com uma biz, o meu irmão com uma twister saindo do condominio, na saida ele pegou a minha frente e após 150 metros, no CORREDOR atravessa um cidadão, que não quis atravessar na faixa a 50mts adiante, e sem ter como desviar, meu irmão bateu em cheio no cara (no estómago quasse mata o cara), se desequilibrou-se e bateu na lateral trazeira de um carro que estava no corredor!!!

    Que treta, resultado um joelho machucado ingessado e vários ematomas no corpo, eu estava atraz dele e por pouco engavetei na trazeira da moto dele…
    Se tivesse sido a Biz teria morrido cara!

    Aprendemos com o erro dos outros: Seja cauteloso…
    Adiante-se a reação…
    Imagine o perigo…
    Tenha paciência…
    Alguem lhe espera em casa!

    E um ditado diz que “Não corra mais que o seu anjo da guarda possa voar”…
    Esse foi o meu aciente

    Reynald Lobo
    reynaldlobo@bol.com.br

  2. ” A importância do uso de equipamentos de segurança”
    Olá, quero dar o meu testemnho da importância dos equipamentos de segurança, no dia a dia.
    Me envolvi em um acidente no dia 24/04/09, estava transitando pela preferencial com minha Mirage de farol aceso quando de repente, um carro cruzou a pista, e conforme declaração do próprio motorista ele não me viu devido a um carro estacionado que encobria a sua visão.
    Foi tão repentino que o tempo e o espaço para frear a moto eram muito pequenos, e ocorreu a colisão na lateral do veículo, e fui lançado por cima do mesmo, caindo do outro lado. Como estava de jaqueta e luvas de couro, capacete, calçado de couro e tudo mais, acabei não tendo nehuma escoriação, somente a batida muito forte na minha coluna, que já está muito melhor, mas que por recomendação médica ficarei uns 2 meses sem pilotar motos.
    Mas passado o susto, fico imaginando o que poderia ter acontecido se não estivesse corretamente usando todos os equipamentos?

    Quero ainda agradecer a você Carlos, ao Sr. Ermírio, ao Luís e toda a equipe da ComMoto que se colocaram prontamente à disposição para me ajudar com a minha moto.

    Abraços,

    Mário
    m_assao@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *