Habilidade Comportamental X Habilidade Técnica. Qual a Mais Importante?

3 comentários


Queridos alunos e amigos

Este artigo é o último de uma série que mostra a importância de uma pilotagem, digamos, comportamental, pois estamos falando de atitudes humanas, que independem de técnicas aprendidas em moto-escolas ou cursos práticos de pilotagem.

Estas atitudes são chamadas de Atitudes da Pilotagem Defensiva, a saber: , Conhecimento, Atenção, Previsão, Decisão e Habilidade. Ainda falaremos de outras duas atitudes, um pouco polêmicas, porém importantes. Aguardem.

Mas antes de falar da Habilidade, se me permitem, quero mostrar um exemplo de atitude que se enraizou na mente de um participante de nosso Blog, quando ainda era criança, ao observar as atitudes dos outros, aprendendo assim, a confiar mais em seus “instintos”:

” Quando tinha 2 anos de idade, meu avô foi atropelado e veio a falecer em decorrência desse acidente. Ele sempre dizia que os motoristas não eram doidos de lhe atropelar, então não dava muita atenção quando atravessava as ruas, numa dessas, o fatídico acontecimento. Mas ele estava enganado, um engano que lhe custou a vida.
Desde que eu era criança eu tenho isso em mente, e só depois que eu li esse texto foi que eu vim a perceber que eu, por instinto, já fazia isso com frequência. O que eu percebo no dia-a-dia é que no trânsito estamos completamente sós, por nossa conta e temos que cuidar de nós e dos outros, como motoristas e pilotos conscientes que somos.

Amaral, estás de parabéns pelo blog. Espero, assim como eu tô aprendendo muito, um dia poder retribuir com alguma experiência vivida por mim ou aprendida de alguém, e sempre procurando aprender mais e mais, por que a decisão correta pode ser a diferença entre a vida e a morte, da gente e de outras pessoas.

Grande abraço.

Anderson Castro

17 de Janeiro de 2009 19:06″

Obrigado, Anderson. Seu exemplo nos mostra o quão importante é seguir suas decisões, e não acreditar nas decisões que achamos que outros vão tomar, pois os outros podem tomar decisões erradas, que para eles estão certas, que pode custar a nossa vida.

E neste exemplo podemos definir, afinal, o que é Habilidade Comportamental e Habilidade Técnica. Habilidade pode ser um dom, ou aprendemos com o tempo, treinando e estudando. Airton Senna tinha um dom, que foi aperfeiçoado com o tempo. Valentino Rossi parece que nasceu com duas rodas ao invés de pernas, mas se aperfeiçoou em suas técnicas treinando e treinando. Meus alunos chegavam no curso prático achando que nunca iriam fazer uma curva deitado, sem usar a embreagem e quase encostando as pedaleiras no chão. No final do curso, viram que isso era possível. Conheceram seus limites e os limites de suas magrelinhas. Isso é Habilidade: conhecer e colocar este conhecimento em prática.

Há alguns anos um aluno, com seus 60 anos de idade, estava em sala de aula ouvindo minhas explicações sobre técnicas de frenagem, cálculos de distância de seguimento de um veículo da frente em segundos, curvas, etc… De repente, ele se levanta da carteira e fala: “… Amaral ( solta um palavrão daqueles), eu pensava que sabia dirigir, mas você está me ensinando coisas que eu nunca pensei que existisse…”
O mais interessante de tudo isso, é que aquele aluno nunca havia se envolvido em nenhum acidente grave. Oras, que tipo de habilidade ele tinha? Habilidade técnica? NÃO!!! Mas sim Habilidade Comportamental.

Olhem bem: que adiantaria se este aluno fosse o Az do volante, um Senna da vida, um Mike Dohann com o DNA de Valentino Rossi se ele não tivesse o comportamento, ou o caráter, ou a personalidade de aceitar seus limites e de respeitar seu próximo no trânsito? Que adiantaria se seu comportamento fosse de atitudes como: Conhecimento sem praticá-lo, de Atenção sem prioridades, de Previsão mas duvidando que nada de ruim pode acontecer com ele, só com os outros, de Decisões erradas e, o pior de tudo, de achar que tem Habilidade técnica o suficiente e, assim, desviar de todos os perigos e de tudo, pois “eu sou o melhor motorista ou piloto de todos.”

Em uma outra turma, com alunos profissionais que dirigiam carretas com produtos perigosos, quando estava falando do efeito do álcool na direção na mente do motorista, ele interrompeu a aula dizendo-me: “… Amaral, eu nunca vou deixar de me divertir com minha família, deixando de lado minha cerverjinha, só por causa do que você está explicando…”

De fato, meus queridos alunos, minha profissão é aplicar a Pilotagem Defensiva aprimorando as Habilidades Técnicas. Mas eu digo uma coisa: ” Quem morre afogado é aquele que sabe nadar”. Portando, deixo a frase que vai registrado no final do certificado de conclusão de meus cursos particulares: ” Nenhuma técnica ou nenhum conhecimento que adquirimos neste curso é válido se não aplicarmos o uso do bom senso”.

Lembrem-se sempre daquela frase que eu digo no final do curso ( frase esta que não é minha ): “Moto não foi feita para cair, mas foi feita para pessoas equilibradas.”
Minha homenagem a este artigo são para meus alunos de Direção Defensiva do Centro de Treinamento de Trânsito, CT-TRAN, de São Caetano do Sul. Em especial as turmas de reciclagem e renovação.

Um grande abraço a todos.

Share
  1. Amigo Carlos Amaral,

    Os meus parabéns pelo excelente post!

    São conselhos, ensinamentos e exemplos úteis e que tidos em conta podem fazer toda a diferença!

    Já agora, espero que não leve a mal, mas tomei a liberdade de pegar na frase que utiliza – “Moto não foi feita para cair, mas foi feita para pessoas equilibradas” e apresentá-la num dos meus blogues:
    http://asminhasmotos.blogspot.com/

    Abraço!

    Rui Pereira

  2. O post tá muiito bem escrito mesmo, e gostaria de ressaltar que atentando pras dicas do Amaral eu tenho dirigido muito melhor hoje em dia.
    Mas cadê o Amaral? Sumiu mesmo? xD

    Abraços meu caro.

    Anderson Castro

  3. Esse blog é maravilhoso, um espetáculo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *