Decidir Certo Ou Errado? O Que Fazer?

3 comentários

Saudades de nossos cursos práticos, queridos alunos e amigos leitores.

Hoje vamos falar de uma atitude curiosa, para continuar nosso curso teórico de pilotagem defensiva: DECISÃO.

Até agora já falamos do CONHECIMENTO, ATENÇÃO e PREVISÃO, nos artigos anteriores a este. Tivemos privilégios de contar com exemplos de alunos sobre alguns assuntos e continuo esperando sua experiência para publicar em nosso Blog.

DECISÃO. Decidir como e em que fazer para evitar um acidente? Afinal, que decisão tomar em um momento de eminente perigo? Frear, desviar, rezar, usar o ABS da moto ( Antes de Bater Salte). Qual será a decisão certa a tomar?

Nos cursos práticos sempre tentava distinguir duas coisas: usar o instinto de sobrevivência ou usar a razão em momentos de decisão difícil?

Lembrem-se: há tres tipos de decisões:

1 decisão certa

2 decisão errada

3 indecisão

O problema disso tudo é que saberemos que tomamos a decisão certa ou errada depois que decidimos. Mas uma coisa é muito certa: a indesisão é a mais cruel, pois os outros que estão no trânsito com você ficam também indecisos em evitar o pior.

Um outro tipo de decisão é aquela que tomamos pelos outros. Olha só este exemplo e vejam se não aconteceu com você também:

” …estava na Av.Paulista, em um domingo frio. Os semáfaros estavam verdes para mim. Porém, aproximando-me nos cruzamentos da Paulista com a Brig. Luiz Antônio percebi que um ônibus estava em uma velocidade não compatível que pudesse parar no semáforo. Oha só a minha decisão: não vou parar, o semáforo está aberto para mim. Este irresponsável ( a saber o motorista do busão) é que tem de parar, pois é ele que está errado. Eu estou certo, pois estou na preferencial … Advinha se o ônibus parou! Simplesmente eu decidi pelo motorista do Bus. A minha decisão era para que ele parasse, não eu”

Olha este outro exemplo:

“…parei no sinal vermelho junto com outros carros ao meu lado, na primeira fila. De repente o carro do meu lado direito avançou o sinal. Na inércia eu fui junto, acreditando que o sinal se abrira para mim e para os outros. Que nada!!! O sinal ainda estava fechado. Pela atitude do outro eu imitei a mesma atitude. Avancei o sinal vermelho, pensando que estava aberto. Decidi pelo motorista do lado e não decidi por mim.”

Estes dois exemplos mostram decisões erradas, pois ao invés de decidir por si mesmo esperamos que os outros decidam por nós ou decidimos pelos outros: ah! ele não é louco de cruzar a minha frente… Ele está me vendo…. Eu buzinei e ultrapassei, mesmo assim ele me fechou, como que ele não me ouviu? Ele…Ele…Ele.. Como saberemos se ele viu, ouviu e se ele estava atento a você? Nessas horas é melhor decidir em esperar o momento certo de agir. Ter certeza da situação e agir. Decida por si e não espere os outros decidirem por você.

Queridos leitores, para que possamos decidir certo é imprecidível que juntemos as atitudes da ATENÇÃO e da PREVISÃO. Atentos estaremos olhando o semáforo e não o motorista que avançou o sinal ( leia o arigo Qual é a Sua Prioridade? Onde Focaliza a Sua Atenção?) . Prevendo estaremos com a mão leve no acelerador ao cruzar uma avenida, mesmo sendo a nossa preferencial, pois saberíamos que alguém poderia errar e cruzar a nossa frente no sinal fechado para ele ( leia o artigo Destino, Azar, “Chegou a hora”. Deus quis…).

É isso mesmo. Decida firme. Para isso é necessário que tenha muita intimidade com a sua “magrelinha”. Que tenha um autodomínio de suas atitudes, reconhecendo seus limites e, principalmente, suas fraquezas. Assim, sua decisão não será de ultrapassar o desconhecido.

Dessa forma poderemos distinguir o instinto com a razão. Usar o instinto é decidir sem pensar. Usar a razão é decidir certo, pois estaremos em pleno conhecimento das circunstâncias, dando prioridade a segurança.

Perceberam que até agora, neste curso teórico, que as atitudes do Piloto Defensivo como Conhecimento, Atenção, Previsão e Decisão dependem um do outro para darem certo?

No próximo artigo falaremos da atitude da Habilidade. Como se explica que os acidentes acontecem mais com os experientes do que com os novatos? Aguardem.

Na revista Moto Max, número 31, do mes de Novembro de 2008, há um artigo muito bom sobre dicas de pilotagem. Leiam: “10 Atitudes Simples que podem Salvar Sua Vida”

Um grande abraço para todos.

  1. Fala pessoal… quando irá combinar um passeio com o pessoal do blog? eai amigo Amaral topas?
    Contribuindo com o blog, veja estes assuntos adicionado o tema proposto pelo nosso instrutor.

    TEMA: Todos os sentidos
    Fonte: Revista Duas Rodas – http://www.revistaduasrodas.com.br/esporte/detalhes.aspx?id=486

  2. Excelente blogue…
    Tem uma profissão que invejo. 😉
    Parabéns!

  3. Quando tinha 2 anos de idade, meu avô foi atropelado e veio a falecer em decorrência desse acidente. Ele sempre dizia que os motoristas não eram doidos de lhe atropelar, então não dava muita atenção quando atravessava as ruas, numa dessas, o fatídico acontecimento. Mas ele estava enganado, um engano que lhe custou a vida.
    Desde que eu era criança eu tenho isso em mente, e só depois que eu li esse texto foi que eu vim a perveber que eu, por instinto, já fazia isso com frequência. O que eu percebo no dia-a-dia é que no trânsito estamos completamente sós, por nossa conta e temos que cuidar de nós e dos outros, como motoristas e pilotos conscientes que somos.

    Amaral, estás de parabéns pelo blog. Espero, assim como eu tô aprendendo muito, um dia poder retribuir com alguma experiência vivida por mim ou aprendida de alguém, e sempre procurando aprender mais e mais, por que a decisão correta pode ser a diferença entre a vida e a morte, da gente e de outras pessoas.

    Grande abraço.

    Anderson Castro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *