Semelhanças entre o avião, bicicleta e a moto. Por André Penalva

1 comentário
Semelhanças entre o avião, bicicleta e a moto. Por André Penalva

História muito legal, genuína e que traz muita reflexão sobre nossas decisões. Afinal, ser um piloto de motocicleta requer tempo de treinamento e muita vontade de crescer nos desafios que vêm com esta responsabilidade, trazendo auto estima e muita qualidade de vida.  Embora o André ainda não seja meu aluno, o considero como alguém que ensina e nesta história real ensinará muitos a decidirem sobre suas vidas e dúvidas que ela traz. Boa leitura e muito obrigado por sua contribuição, amigo André Penalva. SEJA MUITO BEM VINDO À VIDA!

“Achei muito interessante o texto do Cláudio Ferro http://www.amaralinstrutor.com.br/historias-de-meus-alunos/analise-de-um-futuro-motociclista-por-claudio-ferro/. Uma reflexão muito interessante, principalmente para mim que acabo de comprar minha primeira Scooter. O mais engraçado é que o motivo também foi a bicicleta e o motivo da bicicleta foi a aviação!
Caramba! Parece que o pessoal que escreveu nesse tópico tem as mesmas características que eu ! rsrsrs

André Penalva, em seu avião. Conduzir um avião é como conduzir uma moto. Tem que ser piloto!

André Penalva, em seu avião. Conduzir um avião é como conduzir uma moto. Tem que ser piloto!

Vou explicar um pouco melhor…
Desde a infância, eu sempre andei muito de bicicleta. Andava muito pelas ruas do bairro onde morava com minha Caloi Berlineta.
Aos 12 anos meu pai passou a trabalhar no Rio de Janeiro e nos mudamos de Santo André.
No Rio, acabei deixando a bike de lado e aos 17 anos vivia atormentando meu pai para comprar uma moto para mim para que eu pudesse ir à escola e voltar. Meu pai sabiamente nunca cedeu a esse meu desejo. Eu não tinha a mínima maturidade naquele momento para ter uma moto.
O tempo passou, fiz minha faculdade de TI, tirei minha carteira de carro e assim segui minha vida.
Em um determinado momento de minha vida profissional, participei de um grande projeto na Infraero para o desenvolvimento de um sistema de controle de carga aérea. Além de andar de bike, eu adorava aviões. Meu pai sempre me levava a Congonhas quando era pequeno e aquele dia a dia em contato direto com as aeronaves, aquele desejo de voar retornou a minha mente junto com minhas lembranças de meu pai me levando ao aeroporto.
Pois bem, me matriculei no curso prático, depois o teórico e lá estava eu com minha carteira de Piloto Privado. Não iria seguir essa carreira, pois já estava beirando os 40 anos e isso seria um hobby para mim. Que hobby! Voar é uma das coisas mais fascinantes que o img_0043homem já experimentou!
Só que para continuar voando, você precisa ter condições emocionais, técnicas, financeiras e físicas. Bom, além dos re-checks que avaliam sua técnica, você precisa se manter bem fisicamente e emocionalmente.
Foi aí que a bike retornou à minha vida. Um exercício perfeito para me manter saudável. Comprei uma Montain Bike e passei a pedalar muito. Passei para uma bike speed e hoje faço 80 Km em um dia. Muita liberdade e técnica para controlar uma máquina que pesa menos de 8Kg e que já me levou a uma velocidade de 80Km/h. Nesse momento que você dá valor a técnica e a um equipamento sempre revisado e confiável.
Voltando de uma pedalada dessas, paro em um posto de gasolina, compro mais um isotônico e uma barrinha de cereal para me abastecer de energia. Fico sentado em um banco e observando os carros abastecendo enquanto como minha barrinha.
Num determinado momento, uma Scooter entra no posto para reabastecer e fico observando e começo a pensar…”Seria um ótimo transporte para ir trabalhar (já que de bike não é possível pois não tenho como tomar um banho no trabalho).
Um ou dois dias depois já estava matriculado na moto-escola. Fiz minhas aulas e comecei a ver muitas semelhanças entre a bike e a moto.
Pesquisei muito, estudei muito e conversei muito com meu irmão que já tinha moto e já havia feito o curso com o Amaral. Ele me deu várias dicas e me aconselhou muito a fazer o curso do Amaral. Isso pra mim já está certo. Assim que o Amaral vier ao Rio para dar o curso estarei lá, com certeza.city_giant
Hoje, com 48 anos, estou a 1 mês com minha Scooter Citycom S e aprendendo muito com ela. Tentando descobrir suas características, como ela reage ao contra esterço, sua frenagem, sua aceleração, seu peso, sua potência, etc.
Desculpem-me se acabei escrevendo muito, mas acabei achando bem interessante como Bicicletas, Aviões e Motos podem ser parecidos, empolgantes, intrigantes e ao mesmo tempo nos dar uma sensação de liberdade.
Amaral, parabéns pelo seu site e por suas informações compartilhadas nele. A teoria é muito importante e junto com a prática nos dá segurança.

Abraços.”

img_0992Texto: André Penalva

Fotos cedidas pelo autor.

Contribuição voluntária do autor guardadas todos os direitos autorais ao mesmo.

André Penalva nos honra com sua história e nos dá a oportunidade de decidirmos pela VIDA. MUITO OBRIGADO!

  1. Cláudio Ferro diz:

    A vontade de superar limites com equipamento adequado e respeito a boa técnica torna possível o uso diário de veículos como as motocicletas. Usando-a assim; com cuidado, técnica e cautela; auferi bons amigos e vivi experiências tão marcantes e positivas quanto os muitos lugares maravilhosos por onde passei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *