PILOTO DE TESTES: Burgman 125 x Biz KS 125, por Nelson Vaini Neto

2 comentários

 Queridos alunos e amigos leitores. Abaixo mais um  artigo de um aluno que virou Piloto de Testes.

Deixe-me falar um pouco desse amigo e aluno. O Nelson pilotava uma Burgman 125, quando, pela primeira vez, participou do curso de pilotagem defensiva. Eu, em particular, achei a Burgman uma moto surpreendente, pois não sabia que ela possuía uma performance de moto grande. Quando o Nelson comprou a Biz, o homem pilotava com tanta facilidade que fiquei com inveja e logo deixei de lado minha moto e quis entender melhor a performance da Hondinha.

Veja a análise do Nelson, sem preconceitos ou dependência comercial da Honda e da Susuki.

Boa leitura.

Olá, me chamo Nelson Vaini Neto, tenho 27 anos, sou de SP/SP, estou escrevendo para a sessão “Piloto de testes”, do blog do Amaral.

Em 2007, adquiri uma Suzuki Burgman 125 cilindradas, amarela, 0 quilômetro. Rodei praticamente 51 000 quilômetros com esse maravilhoso scooter que, apesar da baixa cilindrada, tem um motor bem arisco. Fiz várias viagens com ela, para os mais variados locais (até em lamaçal andei com ela), e a moto sempre correspondeu às expectativas. Claro, dentro de suas limitações técnicas.
Hoje, tenho uma Honda Biz KS 125 cilindradas, cinza metálica, com injeção eletrônica, ano 2009, também comprada 0 quilômetro. Apesar de ser a mesma cilindrada, a Biz é bem mais “esperta” que a Burgman, graças ao seu câmbio rotativo de quatro marchas. Atualmente, a Biz está com quase 33 000 quilômetros. Vamos às comparações entre ambas:
– A Burgman, devido seu motor estar na traseira, era mais “cômoda” pra fazer as curvas (mesmo com as rodas pequenas). Sentia a moto mais “presa” no chão;
– A Biz, devido ter seu motor na parte dianteira, e na posição deitada, tem seu centro de gravidade alterado, em comparação com a Burgman. Levei muitos sustos fazendo curvas com ela, principalmente, até me acostumar com sua ciclística. Certa vez, quase fui ao chão com ela, e ainda ainda não tinha nem placa!! Mas hoje, já estou bem acostumado, já não me assusto mais com ela nas curvas;
– A Burgman, mesmo com as rodinhas pequenas, aguentava bem os buracos e ondulações no asfalto (quem é de SP, sabe do que estou falando). Nunca tive problemas de perder o controle ou cair com ela por causa de buracos. Levei dois tombos com ela, mas foram causados por outros motivos;
– A Biz, graças às rodas maiores e ao maior curso de suspensão (em relação à Burgman), absorve bem as irregularidades do piso, transmitindo pouca vibração para o piloto/garupa. A suspensão traseira, com duplo amortecimento, transmite a sensação de mais estabilidade, principalmente, em curvas carregando garupa;
– Na estrada, a Burgman já sofria aos 90 km/h. Só uma única vez, indo pra Ilhabela (litoral norte de SP), cheguei a 105 km/h com ela (no painel);
– Na estrada, a Biz chega facilmente aos 90 km/h, e passa disso tranquilamente, sobrando bastante acelerador. Aliás, na estrada, não ando com ela a menos de 100/110 km/h. Uma única vez cheguei a 120 km/h com ela (no painel), indo pra Jaguariúna, interior de SP, e ainda sobrou acelerador (sem garupa);
– Na subida da serra (litoral sul para a capital), a Burgman, depois de uma certa quilometragem, vinha a 75/80 km/h, sem garupa. Só uma vez peguei um trecho com garupa, e não passou de 60/65 km/h. Quando era nova, baixa quilometragem, subi a 100 km/h, sem garupa. Não tive oportunidade pra testar com baixa quilometragem com garupa;
– Na subida da serra (litoral sul para a capital), a Biz sempre subiu, no mínimo, a 90/100 km/h, sem garupa. Com uma garupa de 1,71 de altura e 63 kg, veio, na maior parte do tempo, em terceira marcha a 75 km/h. Eu tenho 1,83 de altura e 92 kg. Nessa ocasião, ainda tinha alguma bagagem no bauleto traseiro e embaixo do banco também;
– Nas curvas, a Burgman raspava o descanso lateral no chão facilmente;
– Nas curvas, demorei um pouco pra fazer a Biz raspar as pedaleiras, graças à sua altura mais elevada;
– Em relação à manutenção, acho que não preciso mencionar que a Biz é mais barata em todos os “quesitos” em relação à Burgman, né?
– Nas frenagens, não notei diferença nenhuma, mesmo a Burgman usando disco na dianteira e minha Biz usar tambor na dianteira (é a KS);
– A Burgman fazia na faixa de 35 km/l. Tinha um tanque com capacidade de praticamente oito litros de gasolina;
– A Biz tem consumo na casa dos 55/56 km/, graças à injeção eletrônica. Tem um tanque com capacidade para quatro litros de gasolina.
Encerro por aqui as comparações entre as motos. Gostaria de dizer que fiz o curso de pilotagem do Amaral com ambas (Biz e Burgman) e me foi muito útil conhecer os meus limites e os limites das motos também! Recomendo à todos!
Nelson, muito obrigado por este artigo e pela ajuda a todos nós, apaixonados por motos.
Abraços a todos 
  1. E o preço da manutenção entre ambas?

    • Muito obrigado pelo acesso ao site. Este post é muito antigo e estes modelos de motos já não estão no comércio de novas. por isso deve pesquisar em lojas especializadas em motos usadas, pois o preço pode variar muito. Sobre manutenção, também, deve escolher um mecâncio de sua confiança para obter o melhor preço de peças e mão de obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *