Intercomunicadores de capacete: benefícios e perigos.

15 comentários
Intercomunicadores de capacete: benefícios e perigos.

Reflita: o que o influencia para uma pilotagem CONFORTÁVEL, ouvir uma música enquanto pilota? Poder se comunicar com seu garupa e com outros motociclistas ao seu redor? Atender seu celular no modo “Bluetooth”? Ou “ouvir o silêncio”, ou os sons naturais das paisagens ou do ronco do motor de sua moto? Agora, reflita novamente: o que o influencia para uma pilotagem SEGURA…

Sim, os intercomunicadores de capacete são aparelhos onde você pode escolher o CONFORTO, a CapaCOMODIDADE e a SEGURANÇA, para que sua pilotagem se torne mais eficaz. Porém, qual é o limite no uso desses aparelhos, onde o conforto e a comodidade podem se confundir com a segurança? (amigos leitores estou dizendo SEGURANÇA, e não o que a LEI DIZ ou interpreta).

Reflitamos juntos, então:

Garupa2

Blá,blá,blá poderá dispersar o foco no
transito. Priorize a segurança.

– Um dos benefícios dos intercomunicadores está na intercomunicação entre garupa e\ou outros motociclistas em um grupo de viagem, pois é importante, e seguro, se ajudarem nas atenções necessárias nos perigos do trânsito. Mas o perigo poderá estar nas conversas onde o foco na dinâmica do trânsito é desviado e não priorizado, por isso a ponderação na conversa, ou no tipo de conversa, é necessária na pilotagem em grupo ou com garupa. Portanto, não priorizar a conversa é um fator preponderante para a segurança na pilotagem.

unnamed

Facilita a comunicação

– Ouvir música também poderá ser um benefício, desde que o piloto distingue como a música o influencia, como altura do volume adequada para que possa ouvir os sons do lado de fora do capacete, uma buzina, uma sirene de socorro, pneu de carro freando seco no asfalto, etc.. Porém, ouvir música poderá ser um grande perigo quando o ritmo da mesma transforme atitudes, ou comportamentos do piloto, de modo a influenciar sua pilotagem. Exemplo: qual a sua atitude na pilotagem ouvindo um Rock and Roll, quem sabe o AC\DC, com a música Back in Black? O que o incentiva ouvindo um Samba ou um Funk? Ou mesmo uma música lenta, suave, tipo “quero dormir”? Talvez, se estiver com sono, e não puder parar para descansar, ouvir um Rock poderá ser um benefício, mas se sua adrenalina estivar a mil, poderá ouvir uma música que o deixe mais calminho. Portanto, as escolhas estão a um botão para escolher o que é benéfico ou perigoso.

images

Fones acoplados na parte interna do
capacete e não diretamente nos
ouvidos

·        – Atender o celular via Bluetooth. Hummm! Melhor do que ter o celular pendurado entre a orelha e o corpo interno do capacete. Mas, no mesmo exemplo acima, falar, ou ouvir, deve-se escolher o que lhe faz bem ou não. Entretanto, há profissões que não usar um celular pode trazer prejuízo profissional ou social, como atender uma urgência policial, uma emergência médica, etc. A vantagem dos intercomunicadores está em não ver quem liga, pois impede a distração e não permite a procura do nº ligado evitando a dispersão do foco nas condições de trânsito. Mas, de qualquer modo, tudo que poderá tirar a concentração ao trânsito pode ser muito perigoso. Portanto, a escolha é sua e está a um botão.

Com estas reflexões vimos que os intercomunicadores podem trazer muitos benefícios sempre dependendo das escolhas de quem os usa. Por isso, o piloto deve escolher o que é melhor para a sua segurança. Mas nunca podemos nos esquecer: nossas escolhas afetam não somente a nós, como indivíduos, mas afetam os outros que estão nas ruas, vias e estradas, pois o trânsito é uma sociedade, um coletivo, e por isso não podemos nos considerar como seres únicos, _DSC2952_DSC2952individualizados, sozinhos. Nossa segurança depende dos outros e a segurança dos outros depende da nossa. Assim, a prioridade das atenções, do foco e da concentração deve ser sempre, sempre e sempre na dinâmica do trânsito e não nas conversas, nas músicas, ou no celular. Portanto escolha a vida.

 

Texto: Carlos Amaral

Fotos: Google e Geórgia Zuliani.

Agradecimentos: SENA Intercomunicadores.

Share
  1. Obrigado pelo momento de reflexão, professo Amaral.
    Muito bom o texto.
    Abraços.

  2. Ás vezes utilizo, os comunicadores na pilotagem, quando estou com o Gps ligado, vou ouvindo o itinerário.
    Uma vez passei por uma situação estranha deixei a moto num bolsão e quando retornei havia poucas motos, já estava escuro, fui tirar o cadeado da moto, meu filho estava comigo, nós dois estávamos de capacete com os comunicadores, apareceu dois suspeitos numa moto, pedi para o meu filho voltar p/portaria do prédio e ficar de olho enquanto eu continuei destravando minha moto, nesse caso o comunicador nos ajudou.
    É polemico, pois já me ferrei também, estava ouvindo musica, não prestei atenção num carro que trocou de faixa, o de traz freou bruscamente, só me restou desviar, mesmo assim a pedaleira da moto bateu no pneu do carro, por sorte não foi nada grave, me distrai curtindo uma sonzera.

  3. Continuo achando interessante ter o intercomunicador. Mas como tudo na vida, usar o bom senso sempre!!!
    Seria como estivessemos conversando com alguem dentro do carro ao dirigr. Se bem que, na moto, a atenção é redobrada, mas como vc mesmo disse em curso, colocar somente em um dos ouvidos para que o outro fique livre par parceber o que acontece no ambiente externo.

  4. Caro amigo, como sempre uma aula e aproveito o gancho para usar um velho ditado: quem não está acostumado a comer melado, quando come se lambusa…portanto, esta facilidade que se apresenta não poderá jamais ultrapassar a segurança do motociclista, bem lembrado por você, pois a responsabilidade pelos nossos atos compromete o todo, ou seja, o trânsito. Nota 10 com louvor mais uma vez e interessantíssimo este artigo. Os mototaxis irão te agradecer e muito. Valeu.

  5. Amaral.

    Hoje as viagens que faço é sempre sozinho e não gosto nem de ouvir música, nesse momento a integração é entre eu, moto e a natureza.. Gosto de ouvir os sons naturais das paisagens, o ronco do motor e isso ajuda a manter a atenção na estrada, na cidade.

    Abraços.
    Martines

  6. Sidney Tavares diz:

    Olá Amaral vi que vc é uma fã da linha Sena Intercomunicadores.
    Tenho um par e gostaria de saber onde posso encontrar peças de reposição , pois tive um pequeno acidente com uma das unidades e perdi um daqueles pinos de conexão com a base . E também as espumas protetoras do mic será que poderia me ajudar ?
    Desde já muito grato

    • Olá, amigo Sidney. Eu acho que você encontrará maiores informações na loja que representa o SENNA: HLX Rancing (www.hlxracing.com.br, lojas no SP Market Shopping, na Av Nações Unidas, Interlagos, das 10 as 22 horas, ou no Shopping Moto e Aventura, na Barão de Limeira, em SP, Centro. Fale com o Ronaldo que ele poderá lhe ajudar. Um forte abraço.

  7. Higor Kasuya diz:

    Boa noite Amaral!

    Amaral, meu pai acabou de comprar o sena 20s para que eu possa me comunicar com ele nas minhas corridas de motocross, porém não estou conseguindo utilizar o aparelho! Você sabe me informar um tutorial ou site explicativo para ligar os dois aparelhos para nos comunicarmos!

    Obrigado

    • Olá, Higor. Eu não sei de nenhum tutorial. Mas para se comunicar com seu pai, ligue os dois aparelhos. Depois, dê um toque, aperte o botão do volume, em um dos aparelhos. Desta forma os intercomunicadores já estão interligados para falar um com o outro.

    • Higor Kasuya diz:

      Amaral, fiz o processo que você explicou, deu pra ver que os dois estavam piscando azul na mesma frequência. Porém tentei falar no microfone nao escutava no outro aparelho. Tem que apertar algum botao para falar ou algo do tipo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *