DÚVIDAS DOS LEITORES: Curvas Com Motos Custons.

2 comentários
Caro amigo, gostei do campo DÚVIDAS e agora te amolo quase que diariamente. Recentemente  um  médico daqui com apenas 3 anos de motociclismo,  numa HARLEY grande não  deu conta de fazer a curva e foi pra cima de um caminhão numa rodovia perto de Marilha, sofreu acidente grave mas escapou… perdeu parte da perna. Jose Vitor Magnilia, secretario de saúde do prefeito local.
Agora minha dúvida é a seguinte:

Em relação às custons,(pode também esclarecer em relação às outras) as curvas são mais difíceis de serem feitas? Quando ocorre o fato  de o motociclista perder a moto (curva pra direita em subida e ele saiu pra esquerda), como aconteceu com ele, foi fatalidade ou imperícia e é comum acontecer? Qual seria a receita para todas os a grande maioria das curvas, tratando-se pista seca, pois molhada o bicho pega? Acho que você entendeu o ponto em que eu quero chegar. Um grande abraço. Sucesso. 17/11/10.

Meu grande amigo Paschoal. Há algum tempo, escrevi um artigo intitulado:“Caramba!!! Êta Curva Difícil!!” Neste post, explico os LIMITES FÍSICOS e os LIMITES DE SEGURANÇA que, independente do modelo de moto, cada uma possui. Lá, mostro,  também, uma das forças que empurra a moto para fora da curva, chamada força centrífuga (fuga do centro). Lendo o post referido, vemos que para cada modelo de moto existe uma dificuldade ou uma facilidade de condução. E, sem dúvida, um dos maiores medos estão no contexto de se fazer curvas. No caso do acidente mencionado (ou em qualquer outro acidente), não acredito em “fatalidade”. Acredito, sim, na falta de conhecimento da “personalidade”que cada modelo tem. Acredito, também, na falta de atenção que o ser humano possui. A falta da previsão, onde nossas decisões viram dúvidas e, consequentemente, se anulam nossas habilidades

A dificuldade na realização em curvas depende de alguns fatores: 

1- Tipo de chassi. Geralmente os chassis tipo Berço Duplo trazem certa difilculdade nas curvas. Deixa a moto menos ágil, onde é necessário usar muita força do corpo para deitar em curvas; 

2- A distância dos eixos das rodas (chamada distância entre eixos). Quanto maior o entre eixos, mais difícil se fazer curvas; 

3- O ângulo de caster e ângulo de trail. Uma custon tem a característica de trail e caster maiores, isso torna a moto menos ágil; 

4- Rodas e pneus. Maior os raios das rodas e mais largos os pneus, também deixam mais difícil a agilidade e a inclinação em curvas. Porém, estes fatores não impedem a moto para as maravilhosas curvas em nossa frente. Lembre-se: MOTO FOI FEITA PARA FAZER CURVAS. O fato do acidente de seu amigo, e nosso irmão, é o desconhecimento da perfomance da moto. Uma Custon tem o LIMITE FÍSICO muito baixo. Além de ENTRE EIXOS e CASTER longos. Isso traz um “medo” nas entradas e saídas  de curvas. As pedaleiras ( estribo ou plataformas, no caso das Harley) encostam no chão e assustam, fazendo o piloto “lavantar”a moto nas curvas. Aí, a moto vai reta. 

Em nosso curso mostramos estes limites. O fato é que nas Custons as padaleiras encostam no chão com muita facilidade, mas mesmo assim ela faz curvas. A pilotagem de uma grande Custon é especial. Não é fácil. O desconhecido é um fator de não enfrentar os limites. Claro! Quem não conhece  não se arrisca. Mas em uma emergência, conhecer a moto é fundamental. Por isso, de uma forma ou de outra, precisamos conhecer o que temos em nossas mãos e respeitar isso. Saiba, os limites de uma moto, mesmo em uma custon, são grandes.

Não conheço nosso irmão José Vitor, mas quero homenagiá-lo como um sobrevivente. Que Deus o ilumine e o ajude a enfrentar todas as dificuldades. Mas diga a ele que meu coração ( e sem dúvida de todos meus leitores e amantes de moto) está junto ao coração dele.

 

  1. Paschoal Pagliaro Junior diz:

    Que legal e que aprendizado fabuloso tivemos neste pequeno espaço, onde você discorre com o seu grande poder de sintese e clareza e torna fácil fazer as curvas: eu não conheço pessoalmente o Secretário, mas juntamente como você disse, estamos numa corrente positiva e de fé para seu pronto restabelecimento e recuperação.Fiquei sabendo do acidente pela imprensa e também por informações de colegas de trabalho conhecido dele, mas achei interessante relatar este acidente para fins de aprendizado para nós todos que fazemos parte de de seu ciclo de discípulos e amizade sincera pelo Brasil afora. Obrigado, muita luz e boas energias para sua caminhada de sucesso e luz.

  2. Parabéns AMARAL, a matéria sobre curvas em custons é muito boa mesmo. Melhor ainda é saber que tive a oportunidade de aprender isso com voce no curso. Naquele momento quando fiz o curso não tinha a minima experiência com esse tipo de moto, claro que ainda sou muito cauteloso e como voce disse, temos que dominar a máquina ao invés de sermos dominados por ela. Valeu pela matéria e ainda lembro das super dicas do curso.
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *